0 Item

A economia de recorrência tem mudado a forma de fazer negócio. Esse modelo de oferta de serviços é útil especialmente na venda de soluções tecnológicas. Com ele, o acesso a produtos torna-se mais fácil e o usuário fica mais propenso a adquirir novas ferramentas.

Quer saber como isso ocorre e quais são as bases da economia de recorrência? Então, continue conosco e acompanhe o post a seguir!

O que é a economia de recorrência

A economia de recorrência é um modelo de cobrança de serviços e produtos em que a empresa que fornece a solução cobra uma assinatura por seu uso. O pagamento é automático (geralmente por cartão de crédito) e, em troca, o cliente tem acesso a um conjunto de recursos, que pode variar conforme o plano.

Em geral, o custo das assinaturas é modificado conforme o número de funcionalidades contratadas e a quantidade de usuários ativos. Tradicionalmente, elas podem ter pagamentos mensais, trimestrais, semestrais e até anuais.

Esse tipo de licenciamento é utilizado atualmente pelo Microsoft Office 365: o usuário paga por um mix de produtos conforme o número de usuários e as funcionalidades escolhidos. O modelo está presente, ainda, em serviços como Netflix e Spotify, em que o usuário paga uma mensalidade para ter acesso ilimitado ao catálogo de conteúdos.

Como está a economia de recorrência no Brasil

A economia de recorrência no Brasil tem mostrado que é um modelo de negócios lucrativo. Conforme uma pesquisa da SaaSholic, mais de 60% das empresas que atuam com o licenciamento de software como serviço (Software as a Service – SaaS) têm receitas financeiras anuais na faixa de R$ 1 milhão após dois anos de operação.

Geralmente, há dois modelos possíveis. Os oferecidos para usuários comuns, em que a Netflix, a Amazon Video e o Spotify são os exemplos mais comuns. E, no ambiente corporativo, a oferta de sistemas, como o pacote Office 365 e aplicações de gestão empresarial.

O mercado não para de crescer e se expandir para novas áreas. Algumas empresas já atuam com serviços de pagamento recorrente em marketing de conteúdo, gestão de logística, aplicações financeiras e comunicação visual. Todos eles têm foco nas necessidades do público-alvo, na criação de planos de pagamento flexíveis e em um alto nível de inovação.

Como criar um negócio para a economia de recorrência

A criação de um modelo de serviços orientado para a economia da recorrência passa por várias etapas. A empresa precisa mudar boa parte de seus modelos operacionais para fornecer produtos por assinatura e, assim, ser mais competitiva. Veja, a seguir, os passos necessários para ter sucesso nessa estratégia!

Precifique o produto

Esse é um dos maiores desafios. A empresa deve dividir os produtos e serviços em planos com alto custo-benefício para o consumidor, mas que não afetem profundamente sua rentabilidade.

Encontre clientes

Utilize novas estratégias de marketing para atingir o público-alvo. Para isso, o negócio pode utilizar mecanismos de vendas automatizadas, publicidade direcionada em redes sociais, inbound marketing e outras abordagens que auxiliem o consumidor a conhecer a marca e entender como as soluções da empresa podem atender às suas demandas.

Acompanhe o cliente em toda a sua jornada

O suporte ao usuário é um ponto-chave para que ele seja fidelizado. Portanto, tenha uma equipe preparada para apoiar o consumidor em todos os passos da sua jornada de compras.

Os vendedores devem ser capazes de compreender as demandas dos clientes e encontrar as melhores soluções para suas necessidades. Depois que a aquisição for feita, a companhia deve colocar à disposição do usuário um conjunto de mecanismos de suporte, que o auxiliem na eliminação de qualquer dúvida ou falha.

Além disso, o serviço deve ser otimizado constantemente. Assim, a empresa garante que novas funcionalidades sejam sempre adicionadas aos produtos e qualquer falha seja corrigida rapidamente.

Qual é o impacto na fidelização de clientes

A fidelização de clientes é um ponto crucial para o sucesso de um sistema. Com o mercado cada vez mais competitivo, o desenvolvimento de software passou a incorporar várias estratégias para garantir que o número de usuários da aplicação seja mantido em níveis estáveis.

E isso depende das escolhas: das metodologias de desenvolvimento ao modelo de licenciamento de software. Com a economia de recorrência, o negócio consegue usuários mais fiéis. O custo para adquirir um sistema passa a ser muito mais atraente, uma vez que não há a necessidade de pagar pela aplicação.

Isso afeta profundamente a visão que os usuários têm do sistema. A aquisição se torna mais fácil, por exemplo. Além disso, o custo para manter a aplicação passa a ser mais previsível e preciso.

Para a empresa, o licenciamento de soluções SaaS afeta o modo como os processos de suporte e pós-vendas são gerenciados. É fundamental que o negócio tenha uma equipe de apoio contínuo, uma vez que quedas nas taxas de satisfação influenciam diretamente as receitas da companhia, já que, a qualquer momento, pode haver um cancelamento.

Por que contratar um software para esse modelo

A tecnologia pode apoiar empreendimentos em vários processos. Os benefícios trazidos por um sistema de gestão, por exemplo, ajudam o negócio a ter mais agilidade, menos erros e processos com alto nível de automação. Assim, a equipe pode se concentrar no atendimento a demandas de clientes e em estratégias que tornem os serviços mais competitivos.

Para quem trabalha com o licenciamento de aplicações no modelo de assinatura, uma solução para gerenciar as cobranças é crucial para que o negócio tenha receitas mais precisas. Afinal, na economia de recorrência, a empresa pode ter dificuldade para administrar o fluxo de pagamentos dos usuários.

E um dos primeiros passos para garantir o sucesso nesse modelo de negócios é ter um bom sistema de gestão de cobranças, planos e contratos. Assim, o negócio consegue avaliar as mudanças em seus fluxos de receitas e garantir que nenhum problema nessa área passe despercebido.

Para empresas que atuam com o desenvolvimento de software, a economia de recorrência é uma das melhores maneiras manter a competitividade. A oferta de soluções SaaS reduz o impacto que a pirataria tem nas receitas de negócios e facilita a ampliação da base de usuários. Assim, quanto mais rápido o negócio adota esse modelo, maiores são seus ganhos.

Gostou deste post? Compartilhe-o nas suas redes sociais para engajar seus contatos nessa nova forma de fazer negócios!