Experimente Grátis

Conheça as diferenças entre o desenvolvimento On Premises e em Cloud

Equipe Cronapp

06/12/2017

Conheça as diferenças entre o desenvolvimento On Premises e em Cloud

Como é o desenvolvimento de software na sua empresa? Você aposta em uma estrutura própria ou já está planejando a migração para a nuvem? Seja o desenvolvimento On Premisses ou Cloud, a sua escolha nesse caso pode definir o sucesso do negócio, por meio de processos mais ágeis, economia de gastos e mais qualidade na entrega.

Quer saber qual é a melhor para o seu caso? Então leia o post e entenda, em detalhes, as diferenças entre os dois métodos.

Desenvolvimento de software On Premises vs Cloud

Para comparar esses dois modelos de desenvolvimento, é importante primeiro explicar o que define cada um deles baseado em quesitos práticos para a produção dentro de uma empresa.

O desenvolvimento On Premises é aquele em que todo o processo é feito dentro de uma máquina própria ligada à uma estrutura interna. A ideia desse tipo de metodologia é que o desenvolvedor tenha em mãos tudo o que precisa para realizar o seu trabalho, do planejamento à validação, sem a necessidade de uma conexão com a internet.

Já o desenvolvimento de software em Cloud é feito utilizando uma infraestrutura terceirizada, quando todas as ferramentas estão disponíveis em um ambiente padronizado e pré-configurado, com recursos variáveis de acordo com a necessidade do negócio em produção e entrega.

Hoje, as soluções na nuvem vêm se tornando a mais popular para empresas de todos os tamanhos que querem agilidade, flexibilidade e redução de custos na hora de desenvolver. Mas ainda existem alguns bons argumentos no modelo On Premises que podem encaixar perfeitamente no seu negócio dependendo da forma como ele está estruturado.

É para mostrar essas diferenças práticas e lhe ajudar a escolher o melhor modo que vamos destrinchar essas vantagens e desvantagens no próximo tópico.

Controle e gestão do desenvolvimento de software On Premises e em Cloud

Se ambos os modelos ainda encontram seu espaço no dia a dia de um ambiente corporativo, a melhor forma de saber o ideal para a sua empresa é dividindo este tópico nos quesitos que tornam uma TI eficiente e mostrar como cada uma se comporta diante esses cenários:

Custo de desenvolvimento

O primeiro assunto, é claro, tem que ser os custos envolvidos no desenvolvimento de software. Com negócios se apoiando cada vez mais na tecnologia como core (núcleo) de sua entrega ao público, o sucesso de uma empresa está muitas vezes relacionado a como esse investimento é concretizado.

No desenvolvimento On Premises, o custo da estrutura é geralmente feito de uma vez em atualizações periódicas e garante tudo o que os profissionais precisam em um ambiente exclusivo — isso, claro, se o investimento em capital de bens for bem-feito. A partir desse momento, a cadeia produtiva se torna direta e simples. Quanto melhor a sua infraestrutura, mais rápido tende a ser o serviço.

No uso de Cloud, os recursos disponíveis são variáveis de acordo com o investimento em operação e serviços. A empresa troca grandes gastos pontuais pela amortização dessa estrutura ao longo dos meses — geralmente em forma de assinatura.

Como a nuvem funciona seguindo conceitos de escalabilidade e elasticidade, dificilmente um diretor de TI terá em mãos recursos insuficientes ou desperdiçados. O modelo se adapta ao tamanho, natureza e demanda do negócio, tanto em ferramentas de desenvolvimento quanto em poder de processamento e armazenamento.

Segurança de processos

Há quem prefira manter toda sua operação em uma infraestrutura própria para garantir a segurança de seus desenvolvimentos, principalmente em relação a ameaças externas e à conformidade e o controle dos dados e códigos utilizados.

Para quem prefere esse caminho, o On Premises é uma forma de garantir um sistema fechado e imutável dentro da empresa. É possível inclusive trabalhar em terminais sem o acesso à internet, tirando de cena o principal canal de invasões e infecções em ambientes corporativos.

Mas o desenvolvimento em Cloud atual já superou muitas das barreiras de desconfiança entre os profissionais de TI para se mostrar uma solução igualmente (ou muitas vezes mais) segura. O protocolo HTTPS foi o grande primeiro passo para essa nova realidade.

A vantagem da nuvem para desenvolvedores é a quantidade de ferramentas voltadas para o monitoramento do sistema e controle de modificações, muito mais ágeis e eficientes do que soluções internas. Qualquer anomalia no processo é identificada imediatamente e, em muitos casos, corrigida de forma automatizada, sem que o desenvolvedor precise se preocupar com retrabalhos.

Disponibilidade e gestão

A eficiência no desenvolvimento de software está geralmente ligada à otimização de processos e capacidade de atuação dentro do sistema para prototipar, testar, validar e entregar uma solução tecnológica.

O modelo On Premises tem a vantagem de não precisar de uma conexão com a internet para usufruir de todas as ferramentas disponíveis, além de ser um ambiente mais controlado e familiar ao desenvolvedor.

Soluções mais fechadas tendem a uma gestão mais facilitada ao longo do tempo, mas podem levar à acomodação e à defasagem de processos. Nesse ponto, vale a pena olhar um pouco mais para as vantagens que a nuvem traz.

Um grande selling point do desenvolvimento em Cloud é a mobilidade. É possível trabalhar a qualquer hora, de qualquer lugar. Não é necessário montar o ambiente por conta própria e tanto diretor quanto equipe pulam essa etapa diretamente para o core do negócio. A Cloud colabora alinhando todos os envolvidos em um sistema de gestão integrado e mais flexível, tornando produção e controle móveis e disponíveis 24 horas.

O produto final

Falando agora exclusivamente da entrega de um software para o público, aqui vemos uma vantagem mais clara para o desenvolvimento na nuvem que você precisa ter em mente na hora de tomar sua decisão.

A grande desvantagem do desenvolvimento On Premises é que a pessoa que desenvolve pode ficar com a cabeça voltada para quem tem uma situação semelhante à dela. Não há variação de cenários e, quando o software é colocado na web, ele pode não se comportar tão bem por causa disso.

Já no modelo de Cloud, o próprio sistema demanda regras e alguns padrões a serem seguidos, o que de certa forma faz com que a qualidade do desenvolvimento seja maior. Além disso a natureza mutável da Cloud Computing, com atualizações constantes e novas ferramentas produtivas facilitando o trabalho do desenvolvedor, permite que sua solução esteja sempre à frente da concorrência em termos de tecnologia e inovação na entrega.

Seja qual for o modelo de desenvolvimento de software que você prefere seguir na sua empresa, o importante é adequar sua infraestrutura e o sistema para otimizar a produtividade, qualidade de entrega e seus poderes como gestor tecnológico.

Embora o desenvolvimento On Premises seja uma boa saída para atingir seus objetivos, talvez seja a hora de buscar soluções em Cloud que te deem mais economia, poder de gerência, disponibilidade e consistência de resultados.

E aí gostou de se informar mais sobre processos de desenvolvimento corporativo? Se você quer ficar por dentro de mais novidades sobre a prática e as metodologias de TI, venha nos seguir agora no FacebookTwitterYoutube e Linkedin!

Artigos recentes

Você sabe quais são as diferenças entre DevOps e Agile?

22/01/2019

6 motivos para sua empresa adotar uma estrutura low code

17/01/2019

Conheça 5 ferramentas para aprender a programar

16/01/2019

Artigos recentes

Você sabe quais são as diferenças entre DevOps e Agile?

22/01/2019

6 motivos para sua empresa adotar uma estrutura low code

17/01/2019

Conheça 5 ferramentas para aprender a programar

16/01/2019