Experimente Grátis

Veja como funciona a programação colaborativa em tempo real

Equipe Cronapp

28/11/2017

Veja como funciona a programação colaborativa em tempo real

Diferentemente do que muitos imaginam, a programação colaborativa em tempo real não é um conceito totalmente novo. Ele já era discutido e utilizado de modo simplificado com ferramentas para controle de versão como o Microsoft Visual SourceSafe, onde múltiplos desenvolvedores dentro de uma equipe trabalhavam juntos, no mesmo ritmo e ao mesmo tempo, criando cópias do código em suas máquinas locais para desenvolver, e utilizando uma ferramenta para centralizar as alterações no código em um local único.

A diferença é que, agora, ele ganhou um reforço adicional com os avanços das tecnologias de internet, incorporando métodos de comunicação aprimorados e agregando ferramentas de monitoramento e controle instantâneos. Daí, o complemento da frase “programação colaborativa” com o termo “em tempo real”.

Sem dúvida, esse avanço trouxe novas oportunidades ao mercado de desenvolvimento de softwares, impactando fortemente na qualidade, redução de custos e aumento da produtividade. Como consequência, essa otimização proporciona diversas vantagens e benefícios à empresa.

Ficou interessado? Então, acompanhe este post e conheça um pouco mais sobre a programação colaborativa em tempo real e o que ela pode proporcionar ao seu negócio!

O que é programação colaborativa em tempo real

O modelo de desenvolvimento de software baseado em programação colaborativa em tempo real representa uma metodologia cujo foco é a disponibilidade e a comunicação entre os profissionais envolvidos no projeto, por meio da Internet.

Esse modelo começou a ser adotado de forma generalizada por Linus Torvalds em seu trabalho com o Linux em 1991 e continua a ser usado até hoje, principalmente em projetos freeware e softwares de código aberto. Ele também é usado em projetos de desenvolvimento ágil e interativo, pelo qual os estágios do programa são lançados para feedback ao grupo de profissionais envolvidos, impulsionando o desenvolvimento do programa.

Nesse modelo de desenvolvimento, vários profissionais participam ativamente e contribuem para um fluxo contínuo das etapas. Especialidades como o front-end, back-end, design e segurança são requeridas aqui e cada profissional pode ter uma delas, sendo integrado à equipe e aos processos.

Utilização de Peer Programming

O Peer Programming, ou Programação em Pares na tradução ao pé da letra, é um termo que representa a prática de dois ou mais programadores trabalhando e compartilhando a mesma estação de trabalho. Basicamente, os desenvolvedores podem visualizar o que cada um está fazendo na plataforma, mantendo uma configuração unificada e centralizada em um único local.

O acesso aos códigos que estão sendo escritos pode ser durante o trabalho ou depois, após a conclusão por etapas, permitindo que examinadores de outras equipes ou em outros locais verifiquem as codificações antes de serem validadas.

Essa colaboração, envolvendo diversos profissionais especialistas em áreas específicas, garante diferentes abordagens, uma vez que ideias e pensamentos diferentes podem contribuir para a escrita de rotinas inovadoras e mais eficientes.

O Peer Programming também ajuda a validar os códigos mais rapidamente, acelerando o processo de desenvolvimento sem perder a qualidade das funcionalidades agregadas a estrutura do software.

Boas práticas em Git Flow

O Git Flow é um modelo de organização de branches (ramificação) do Git — sistema de controle de versão de arquivos e de gerenciamento de código fonte, com foco em velocidade —, criado por Vincent Driessen e bem-aceito pela comunidade de desenvolvedores pelo incentivo que proporciona à colaboração e dimensionamento de equipes de trabalho.

Com base na sua aplicação, separamos adiante as melhores práticas de Git Flow.

Antes do desenvolvimento do projeto, branches (ramos) de recursos e de correções de erros não emergenciais devem ser criados e agregados ao fluxo de trabalho. Além disso, eles devem ser separados do ramo (branch) de desenvolvimento, sendo mesclados novamente ao ramo de desenvolvimento quando estiverem prontos para serem lançados.

Quando chegar a hora de lançar o recurso, um ramo de lançamento deve ser criado fora do ramo de desenvolvimento. O ideal é que ele seja implantado em um ambiente de testes adequado para ser avaliado e ter todas as falhas corrigidas diretamente no ramo de lançamento.

Um ciclo contínuo baseado em implementação, testes e correções deve ser mantido até que a versão seja validada e autorizada para ser lançada.

Quando o lançamento for concluído, o ramo correspondente será mesclado com o branch master (ramo principal) e com o de desenvolvimento para garantir que as mudanças feitas no ramo de lançamento não sejam acidentalmente perdidas por um novo desenvolvimento.

Os ramos de hotfix (correções urgentes) devem ser usados somente para as tarefas de correções emergenciais, sendo ramificados diretamente de um lançamento marcado no ramo principal e, quando terminados, mesclados de volta no ramo principal.

Esse processo garantirá que o hotfix não seja acidentalmente perdido quando uma próxima versão for planejada e desenvolvida.

Achou complicado? Nós resumimos as melhores práticas do Git Flow abaixo:

Caso alguma falha seja descoberta após o lançamento e implementação do software, um ramo de hotfix do master pode ser criado para a correção e relançamento.

Programação colaborativa e os resultados para o negócio

A programação colaborativa em tempo real tende a tornar o trabalho ágil e impulsionar a produção, facilitando a entrega de produtos mais rapidamente. A qualidade também é outra vantagem, uma vez que profissionais especializados nas áreas em questão estarão envolvidos no projeto.

Veja agora algumas das principais vantagens que a metodologia proporciona ao negócio:

Se você é uma pessoa que vive em busca de novas tecnologias e metodologias para otimizar o negócio e melhorar os resultados, a programação colaborativa é essencial.  Afinal, sem essa ferramenta, cada profissional fica livre para fazer a sua parte sem controle e a integração entre as partes fica muito mais complicada, levando a perda de um tempo precioso com revisões e mais revisões.

Gostou da novidade? Então, compartilhe com os seus amigos nas redes sociais agora mesmo e torne-se um profissional influente entre eles!

Artigos recentes

O que são, como funcionam e para que servem os microsserviços?

22/03/2019

Técnicas de Cloud Computing e BI: fique por dentro e tenha bons insigths

Técnicas de Cloud Computing e BI: fique por dentro e tenha bons insigths

Como fazer a análise de viabilidade de projetos de aplicativos?

Como fazer a análise de viabilidade de projetos de aplicativos?

20/03/2019

Artigos recentes

O que são, como funcionam e para que servem os microsserviços?

22/03/2019

Técnicas de Cloud Computing e BI: fique por dentro e tenha bons insigths

Técnicas de Cloud Computing e BI: fique por dentro e tenha bons insigths

Como fazer a análise de viabilidade de projetos de aplicativos?

Como fazer a análise de viabilidade de projetos de aplicativos?

20/03/2019