0 Item

Nos últimos anos, um dos principais fatores que impactam o sucesso de uma ferramenta é a experiência do usuário. E a capacidade de uma aplicação ser bem utilizada se deve, principalmente, à qualidade dos seus processos de desenvolvimento. Eles devem ser bem estruturados, evitando erros e falta de alinhamento com as necessidades dos usuários.

Nesse sentido, os processos de software quality assurance têm destaque, uma vez que eles auxiliam o gestor a evitar problemas e a garantir que a aplicação seja entregue com tudo o que o usuário precisa.

Se você quer saber mais sobre o tema e como investir em software quality assurance, continue lendo este post!

Software quality assurance: como garantir a qualidade do sistema?

As políticas de software quality assurance devem ser compreendidas pelo negócio como um conjunto de estratégias que tornam as rotinas de desenvolvimento mais eficazes, deixando os sistemas criados mais inteligentes e alinhados com as necessidades do mercado. Elas são estruturadas em dois tipos de rotinas:

  • as rotinas de QA: que são as estratégicas com foco na qualidade dos processos de desenvolvimento;
  • as rotinas de QC: que são as estratégias focadas na qualidade do produto entregue ao cliente.

Para garantir que os processos de desenvolvimento sejam realmente eficazes, a empresa precisa investir em rotinas para que cada etapa da criação de uma ferramenta tenha a sua qualidade avaliada continuamente. Dessa forma, o gestor poderá avaliar e identificar o impacto de cada etapa na qualidade dos produtos criados — e o que deverá ser feito para otimizá-las.

Quando ocorrer a etapa de identificação dos requisitos de um software, por exemplo, a empresa precisa analisar a efetividade de todas as estratégias que podem ser adotadas durante o projeto de desenvolvimento. Utilizando como base o perfil do negócio e os objetivos da criação do sistema, a companhia conseguirá se planejar com alta precisão.

A metodologia é a mais adequada? Os requisitos são passados para a equipe de forma objetiva e clara? Os recursos serão utilizados da melhor forma possível para gerar uma aplicação de qualidade? Essas são apenas algumas das perguntas que devem ser feitas. Dessa forma, o gestor consegue garantir que as escolhas iniciais não causarão problemas nas etapas finais das rotinas de desenvolvimento.

Também é necessário avaliar se os mecanismos de controle são realmente capazes de evitar atrasos e manter times com alta performance. A companhia precisa ter um fluxo de trabalho ágil, flexível e estruturado, de modo que os problemas sejam os menores possíveis. Da metodologia às ferramentas escolhidas, tudo deve ser estruturado para garantir o máximo de qualidade.

Os processos de software quality assurance ainda devem garantir que a empresa tenha um produto com uma experiência de uso de alta qualidade. Não só os requisitos devem ser entregues, mas eles também precisam estar estruturados de tal forma que os usuários possam utilizá-los com qualidade e precisão, sem que falhas interrompam os fluxos de trabalho ou causem problemas no acesso a dados.

Em resumo, uma política de software quality assurance abrangente garante que uma alta qualidade esteja presente em todo o ciclo de manutenção e desenvolvimento de um sistema. As rotinas de criação terão maior qualidade, a detecção de falhas será mais precisa e o levantamento de requisitos mais eficaz. Dessa forma, o produto final terá uma chance muito maior de atender às necessidades dos usuários e às expectativas do cliente.

Qual é o papel do gestor para garantir a qualidade do produto?

Para garantir a qualidade dos softwares criados, o gestor terá um papel-chave. Ele será responsável por gerenciar todas as rotinas utilizadas pelo negócio a fim de manter os conhecimentos alinhados, os times atuando sem atrasos e a alta qualidade dos processos.

Um dos primeiros passos, nesse sentido, é compreender quais são as necessidades do cliente. Esse processo dá ao gestor mais capacidade para avaliar como o projeto de desenvolvimento será estruturado, evitar erros e tomar decisões mais inteligentes.

Durante as etapas de testes, o gestor deve instruir os profissionais a se colocar no lugar do usuário. Avaliações da qualidade do sistema tornam-se mais eficazes conforme os desenvolvedores conseguem simular cenários mais próximos daqueles que existirão no dia a dia do uso da aplicação.

Além disso, para que o ciclo de testes seja mais eficaz, o gestor deve fazer investimentos em busca de mais automação. Com softwares de teste, os profissionais podem simular um número maior de requisições e, assim, submeter o código-fonte a um número maior de possibilidades. E lembre-se: um bom teste é aquele que é capaz de simular as condições reais de uso, pois é nesse momento que as falhas transparecerão..

A escolha dos tipos de testes que serão feitos deve levar em conta as metodologias utilizadas pela empresa. Se ela for anterior aos processos de desenvolvimento, por exemplo, a companhia deve utilizar a metodologia TDD.

A metodologia TDD tem como base uma completa análise de domínio. Isso permite ao gestor avaliar se cada etapa do desenvolvimento terá as informações necessárias para gerar os melhores resultados possíveis. Assim, erros são mitigados antes mesmo de os programadores começarem a executar o trabalho.

O que fazer caso ocorram problemas após a entrega para o cliente?

Por mais eficazes que sejam os processos de testes dos softwares, a empresa ainda pode enfrentar problemas de performance ao entregar as soluções para os usuários. Nesse momento, é importante que o gestor esteja preparado para identificar os principais bugs e tomar as medidas necessárias para que as correções sejam rapidamente distribuídas.

Se a aplicação tiver sido criada com o apoio de uma boa política de software quality assurance, o número de problemas será o menor possível. Porém, os que ocorrerem devem ser registrados e corrigidos para o próximo release.

Acompanhar a qualidade do software é algo crucial. Geralmente, contratos têm uma tolerância para bugs e, caso o produto entregue apresente mais erros do que o esperado, a empresa terá prejuízos.

Com um bom bug tracking, é possível avaliar quais são as principais falhas no código-fonte, identificar o progresso do processo de correção e o que ainda deve ser feito para manter a aplicação mais eficaz. Assim, a empresa reduz ao máximo o número de problemas causados pelos erros no código-fonte de seus softwares.

Investir em software quality assurance também auxilia o negócio a obter certificações de qualidade. Uma vez que a companhia passa a ter uma rotina de criação de sistemas bem modelada, torna-se mais simples alinhar abordagens conforme os padrões do mercado.

Com os processos seguindo padrões claros e precisos, toda a cadeia operacional terá uma maior performance. Assim, com rotinas de alta qualidade, o empreendimento poderá certificar a qualidade das suas rotinas com as entidades corretas, tornando-se mais competitivo a médio e longo prazo.

A sua empresa tem alguma estratégia de software quality assurance? Como ela é estruturada? Compartilhe conosco nos comentários!